Arquivo do mês: abril 2010

Dárcy do Bafão

Não é lá grande novidade em se tratando de Dárcy Vera (DEM), que tem, no seu pequeno coração, uma veia barraqueira incomensurável, mas ainda vale o relato de mais uma aventura da Pantera cor de Rosa, a prefeita mais pé de chinelo da história de Ribeirão Preto.

Conta a lenda que o povo da Abimaq debatia calmamente aspectos da feira quando Dárcy teria ouvido, de rabo de orelha, que eles referiram-se à Agrishow como feira da Abimaq. Fato, aliás, tecnicamente correto. Também disseram que a Feira permeneceu em Ribeirão a pedido dos pesquisadores, esquecendo-se (será?) de dar crédito às “forças políticas vivas” da cidade.

Demonstrando uma dose elevada de instabilidade emocional e apego incondicional ao barraco, a alcadesa larapiou com estardalhado o microfone de um dos convivas e começou a discursar. Em tom ríspido, sem se deixar interromper, no melhor estilo Quebra-barraco, passou a berrar impropérios aos presentes, gritando que a Agrishow era de Ribeirão e chegando quase a ofender os dirigentes da Abimaq presentes ao evento.

Dedo em riste, arrazoou a prefeita que “A Feira era de Ribeirão” e que “nâo deixaria a cidade jamais”. E mais blá blá blá do mesmo naipe.

Pessoalmente, a atitude de titia Dárcy não surpreende. Já vi fazer pior, com pessoas mais qualificadas. Já fui, inclusive, vítima desse estilo barraqueiro em programas de rádio e até ao vivo. O que dá pra se perguntar é onde esse absurdo vai chegar.

Porra, Serra

E para dar ao blog um simulacro de imparcialidade – na verdade imparcialidade é o caráleo, não sei se voto Serra, mas votar Dilma NUNCA – vai o Porra Serra – www.porraserra.com – feito, ao que parece, pelos mesmos desocupados do Porra Dilma. O blog começou tem pouco tempo, então ainda tem quase nada de montagens, mas vale a dica.

Aliás, na boa, escolher entre Serra e Dilma será dose pra Leão, hein? Juro que se o Levy Lidélix for candidato, voto nele. “Vem vem vem, vem que tem, Levy Fidelix é o homem do Aerotrem”

De pedra a vidraça

Caro leitor, perspicaz leitora, existem algumas situações na vida onde, como se diz, o castigo vem a cavalo. Não posso pensar em outra metáfora para descrever o que acontece com a Saúde em Ribeirão Preto e, especificamente, com a Secretária da Pasta, Carla Palhares.

Acontece que, durante a última gestão de Welson Gasparini (PSDB), Ribeirão teve o que eu considero como o melhor secretário de Saúde, o doutor Sebastião. Ela foi o responsável pela reestruturação da Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas. Tinha uma visão global da Saúde privilegiada, além de inegável competência técnica. Dizia pra quem quisesse ouvir que o problema da Saúde em Ribeirão eram os médicos, que recebiam por quatro horas e trabalhavam duas. Sebastião fez, ou pretendia fazer, uma revolução.

Mandou médicos que faltavam aos plantões embora – entre eles sua própria mulher – e instituiu o controle de ponto por biometria digital para os médicos, com presença que precisava ser confirmada a cada 20 minutos. Ou seja, acabava-se o tomé dos médicos. A reação foi violentíssima. Apoiada por parte da mídia – dar notícia do caos na Saúde sempre foi rentável, ainda mais para um governo que não abria os cofres como o de Gasparini – começou uma verdadeira campanha para que o doutor Sebastião fosse demitido.

 Lembro bem que apenas dois veículos de comunicação na cidade não utilizaram o Sebastião como vidraça. O jornal A CIDADE, que tinha eu como setorista, e a TV Clube. Conversando com o doutor Sebastião em um de seus últimos dias à frente da pasta, ele já desanimado confessou que, não fosse a força que minhas matérias davam – politicamente – ele teria caído antes, já que a pressão política era forte demais e a imprensa comprava o lado dos médicos. Essa é uma das falas que guardo na sala dos bons combates que travei e que me dá orgulho da profissão que escolhi.

Acontece que, nessa época, a atual secretária, Carla Palhares, era vice-presidente do Centro Médico. E uma das mais ferrenhas opositoras de Sebastião. Daquelas que organizavam os piquetes, inclusive, e davam entrevistas, dia sim dia também, questionando a gestão dele. Ao fim de pouco mais de dois anos de excelente trabalho – e de muita briga comprada – Sebastião acabou exonerado.

E o presidente do Centro Médico, Oswaldo Cruz, assumiu. Fez-se a paz e a coisa foi sendo levada em banho maria, do jeito que os médicos queriam. De pedra a vidraça, Carla virou secretária da Saúde e, mesmo com todo o corporativismo, é vítima dos mesmos médicos que ajudou a unir para foder a vida do Sebastião.

Pode se dizer que a criatura voltou-se contra o criador, ou vice-versa, enfim. O fato concreto é que Carla, que ajudou a fritar Sebastião, está sendo fritada pelos mesmos médicos que eram seus companheiros na fritada anterior. A saída dela do governo são favas contadas. Não deve voltar da sua licença. O que é, by the way, uma estupidez sem tamanho.

De personalidade conciliadora e bom entendimento técnico, Carla não é, com absoluta certeza, a causa dos problemas da Saúde em Ribeirão. Vai ser, como tantos outros, só mais um bode expiatório. Em uma linguagem chula, mudam-se as moscas, fica a merda.

Repito: a saúde em Ribeirão vive uma espécie de câncer. Tão incrustado, mas tão incrustado, que se torna difícil retira-lo sem matar o paciente. Todos sabemos que os médicos não trabalham o quanto deviam, que há faltas demais e que a conivência com o descaso impera.

Mudar isso é tarefa hercúlea, que exige, além de vontade política, disponibilidade para aceitar reações extremamente adversas. O prefeito que resolver sanar o problema vai precisar tomar medidas drásticas. Mandar médicos embora a bem do serviço público, rever contratos de licitações na área, grande parte com vícios seriíssimos, além de enfrentar de frente a máfia branca e a sua incrível capacidade de mobilização.

Isso, claro, pode custar votos. Por outro lado, pode-se deixar tudo como está e conciliar a coisa. O prefeito exige o mínimo de profissionalismo, a coisa melhora um pouco e vai-se tocando.

O câncer continua lá, prejudicando o paciente, mas não o suficiente para matá-lo. Uma espécie de sobrevida. Infelizmente, é assim que a saúde de Ribeirão vive. Desde Luiz Carlos Raya – o primeiro secretário que acompanhei com afinco – até hoje, a opção foi por deixar o doente vivo, sem combater o problema. Doutor Sebastião foi um momento único onde as feridas começaram a ser tratadas a fundo. Infelizmente, durou pouco

Porra Dilma

Dilma Roussef, que se eleita será a mulher mais feia a governar qualquer país do mundo, ganhou um site cujo único objetivo é cornetá-la. Vale a visita em www.porradilma.com.br.

Peguei essa indicação no MSN do grande amigo e irmão Ygor Salles, da Folha Online, companheiro de república na gloriosa Curva do Rio, em Bauru. É hilário. Recomendo a todos

Circuito Pocket Aces de Texas Hold´em

Pessoal, minha participação no jogo de ontem foi tão deprimente que não vou sequer comentar. Aliás, a única coisa boa pra se falar é que consegui os pontos necessários para voltar a ser líder. Vamos à classificação:

RANKING POCKET ACES
     
Colocação Jogador Pontos
Eduardo 166
Douglas 164
Mão 157
Bunda 136
Graffite 120
Samamba 116
Ronaldo 109
Tiagão  91
Abusado 87
10º Chow 73
11º Pastel 69
12º Ity 63
13º OB 62
14º Vladimir 60
15º Acajú 60
16º Pinguim 60
17º Barrichelo 48
18º Tóchico 46
19º Diegão 40
20º Luis 40
21º Conselheiro 29
22º Gatti 29
23º Bolinho 29
24º Dalai 23
25º Marcelo 20
26º Carlinhos 19
27º Cuzão 16
28º Silvio 13
29º Zebu 12
30º Finazzi 7
30º Dasein 7
31º Med 6
31º Jaque 6
32º Moisa 4
32º Cauê 4
32º Ita 4
33º Lion 3
34º Prego 2
35º Grilo 1

Lógica invertida

E por falar em asseclas, uma informação simpática que chega direto de Franca. Em que pese a declaração infeliz da prefeita Dárcy Vera (DEM), que culpou a região pelo caos que sua gestão imprimiu à saúde de Ribeirão, a ordem no Palácio do Rio Branco e começar nova caça ãs bruxas.

Num exemplo claro de inversão, o assessor de comunicação da prefeita, Eliezer Guedes, já começa a ligar nas redações de Franca e solicitar aos jornalistas a gravação das falas dos prefeitos e deputados que criticaram Dárcy pela infeliz frase. Em postura ameaçadora, sussura processos.

Vejam se não é o cú da cobra: a prefeita fala borracha, não vai a um evento que deveria participar, ainda que fosse como convidade – o evento era uma reunião do Consórcio de Municipios da Alta Mogiana – e ainda manda seus lacaios encherem o saco de jornalistas que apenas fizeram seu trabalho e registraram o calor dos debates.

Obrigado, Dárcy

Obrigado, excelentíssima prefeita municipal de Ribeirão Preto.

Obrigado pela demagogia excessiva, que me dá a certeza de ter acertado em cada uma das matérias que fiz com o intuito de denunciar o embuste que a senhora é, foi e sempre será.

Obrigado por me fazer ver, a cada dia, que não errei um milimetro sequer na avaliação de caráter que fiz da senhora e de seu governo.

Obrigado, também, por empregar entre os seus asseclas o pederasta que copia e cola mensagens de MSN. Não fosse isso, talvez estivesse no mesmo lugar que antes eou, pior, teria sido promovido e obrigado a compactuar com a compra vergonhosa da imprensa por parte de sua pessoa.

Sem destoar, agradeço ainda por ter me perseguido como um cão feroz, com gana que assusta e deixa perplexas as pessoas de bem. Conhece-se o caráter de um homem pelas lutas que peleia.

Obrigado, também, por investir mais de R$ 6 milhões em propaganda. Só por isso percebi que a verdade nem sempre pode ser comprada e que, ainda que com investimentos milionários, o povo que a elegeu se arrepende e sabe a laia de seu governo.

Obrigado, ainda, pelo caos que a senhora ampliou na saúde. O que parecia impossível foi feito: sua campanha, baseada em promessas vãs, como a casa feita na areia, conseguiu tornar o que já era ruim ainda pior.

Obrigado, ainda, por culpar os pobres coitados que são obrigados a buscar atendimento em Ribeirão Preto pelo caos que a sua incompetência provoca na rede municipal de Saúde, argumento, por sinal, utilizado pelas últimas centenas de administrações e que, inclusive, a senhora repudiou durante a campanha.

Obrigado, ainda, por tornar a cidade um verdadeiro queijo suíço. Graças ã sua não administração, o povo irá retirá-la da cadeira que nunca deveria ter ocupado nas próximas eleições.

Obrigado, ainda, por trair os seus assessores mais próximos e diletos. São pessoas de bem e que acreditavam, por inseguras e tolas, em suas promessas néscias. Com a decepção delas, muita coisa pode melhorar.

Obrigado, ainda, por deixar todos os bons quadros de sua administração permanecerem menos de um ano em seu governo. Tua aliança com Palocci E Baleia torna bem claro o tipo de não governo que temos.

Muito obrigado, ainda, por ser um joguete em mãos mais hábeis e fatiar o governo entre expressões políticas do quilate de Wagner Rossi, Baleia, Palocci e Walter Gomes. Fica muito mais fácil combater quando se conhece o inimigo

Obrigada, ainda, por tornar a minha Ribeirão Preto na cidade que mais dengue registra em São Paulo, concentrando mais de 15% dos casos de todo o Estado.

Obrigado, prefeita, por fazer meu avó e minha avô paternos, um com mais 80 e outra com mais de 70, sofrerem o pão que o diabo amassou por conta da doença e do descaso nos postos de saúde municipais. Depois das  piores semanas da minha vida, o alívio em saber que eles finalmente estão bem não tem preço.

Obrigado, ainda, por me fazer também adoecer deste mal. Com toda a desidratação provocada pela doença dos mosquito, irei perder alguns quilos.